Portal EmDiv

:: Quarta-feira, 23 de Julho de 2014 ::
    Tamanho das Letras
    • Aumentar Letras
    • Tamanho Padrão
    • Diminuir Letras

    Compartilhar Isso!

    AddThis Social Bookmark Button

    História e Modalidades da Capoeira

    Luta brasileira, de origem africana, a capoeira se compõe de golpes curiosamente chamados rabo-de-arraia, passo-a-dois, tombo-da-ladeira e outros, mais tarde incorporados à coreografia do frevo. Capoeira é uma luta atlética, de destreza, baseada em esquivas (aos lutadores é vedado segurar ou bloquear qualquer golpe), cuja finalidade é derrubar o adversário pelo desequilíbrio.

    Surgiu no Brasil presumivelmente no século XVI, entre os escravos bantos procedentes de Angola. O acompanhamento musical, usado ainda hoje na capoeira, teria servido para mascarar as verdadeiras intenções dos escravos: exercitar-se para enfrentar, em época oportuna, o braço armado do branco.

    Alvo de constantes perseguições policiais por todo o país até as primeiras décadas do século XX, a capoeira sobreviveu a todas as restrições e passou a despertar progressivo interesse de instituições esportivas e de aficionados de todas as classes sociais. Em 1973 institucionalizou-se como prática desportiva regulamentada.

    As competições de capoeira se realizam em quatro modalidades: conjunto, duplas, individual e equipes. Os golpes desferidos pelos lutadores, também ditos jogadores, se classificam em três grupos: os livremente permitidos, os permitidos sob controle e os proibidos. A luta tem início quando o mestre de ritmo pronuncia a expressão "que o mundo dá". O som de instrumentos de percussão, entre os quais predomina o berimbau, e das palmas ritmadas dos circunstantes pontua ritmicamente toda a luta.

    A decisão de um encontro é tomada por um árbitro, de acordo com a categoria que esteja sendo disputada. Nas provas de conjunto e duplas o vencedor é escolhido pelo número de pontos; nas individuais e de equipes, por pontos, desistência, desclassificação e desqualificação. A contagem de pontos cabe aos jurados, que são em número de três, para as competições individuais e por equipes, e cinco, para as de conjunto e duplas. Tanto o árbitro como os jurados se subordinam ao diretor de combates. Para a contagem de pontos nas competições individuais e por equipes observam-se os seguintes itens: técnica, defesa (habilidade para anular, desviar ou atenuar os efeitos dos golpes), eficiência, toque (colocação perfeita dos golpes livres e permitidos sob controle), fuga e falta. Nas competições de duplas contam pontos a técnica, a defesa, a eficiência, a objetividade e a resistência; nas de conjunto, a aplicação de golpes, a vestimenta, o ritual, o ritmo, os toques e cânticos.

     

    Pesquisa

    Publicidade

    RSS