Portal EmDiv

:: Sexta-feira, 25 de Julho de 2014 ::
    Tamanho das Letras
    • Aumentar Letras
    • Tamanho Padrão
    • Diminuir Letras

    Compartilhar Isso!

    AddThis Social Bookmark Button

    O Mármore - Tipos e Aplicações

    Em suas esculturas, mestres helênicos como Fídias e Praxíteles utilizaram os famosos mármores de Paros e Pentelikon, considerados os melhores do mundo, ao lado do de Carrara, usado por Michelangelo, Canova e outros escultores. Esses mármores atendem bem às exigências refinadas do cinzel do escultor, mas ressentem-se muito da ação de agentes atmosféricos.

    Mármore é uma rocha carbonática, formada pelo metamorfismo de calcários. De constituição calcítica, pode ainda conter dolomita. É produto de metamorfismo de contato ou regional de sedimentos calcários. Em sentido amplo, mármore é rocha calcária ou não-calcária que permite polimento para uso como pedras de construção ou ornamentação.

    São três os grupos principais em que se classifica o mármore: calcário recristalizado por metamorfismo; calcário tipo travertino, rocha formada por precipitação química, à custa de material carbonático contido em solução nas águas das fontes de regiões calcárias; e o serpentinito, tipo de rocha em geral pobre em carbonato de cálcio, mas que adquire ótimo polimento e pode ser usado como mármore verdadeiro. O travertino normalmente mostra faixas de diversas cores, o que lhe confere belíssimo efeito ornamental. Outro tipo de mármore muito usado é o brechóide, matéria-prima dos chamados mármores artificiais, conhecidos pela denominação italiana de terrazo. Contém fragmentos angulosos cimentados pelo próprio calcário e pode ser britado em pedaços pequenos que depois são unidos com cimento branco ou colorido.

    Comercialmente, os mármores em geral são classificados de acordo com a textura, a uniformidade do grão e o tom predominante. Há mármores brancos (de fundo creme ou azulado), beges, azuis, fundos negros, fundos rosas, cinza-pérola (salpicado ou em ramos), amarelos, vermelhos, verdes e violetas.

    Extraído em pedreiras ao ar livre, o mármore é destacado da massa da jazida por meio de serragem com um fio helicoidal sem fim, com um abrasivo e água. Depois de isolado, é fracionado por ferramentas pneumáticas e deslocado por aparelhos de elevação. Em fábricas especializadas, os blocos são cortados em espessuras variadas e depois cinzelados e polidos.

    Usa-se o mármore na escultura (sobretudo o mármore branco), na construção (monumentos, pedestais, fachadas, colunas e acabamentos), na decoração interna (tampos de mesa, lareiras, objetos decorativos diversos), na arte religiosa e nos monumentos funerários. As sobras são aproveitadas na ornamentação de fachadas e pavimentos, na fabricação de lajes artificiais e, pulverizados, na indústria de saponáceos. Como os calcários, certos mármores são utilizados para a fabricação de cimento e cal virgem.

    O mármore ocorre em diversos países europeus, como Itália, Grécia, França, Espanha, Portugal, Alemanha e Noruega. Os Estados Unidos produzem mármores brancos e cinzentos; o México, avermelhados; e o Uruguai, verdes, vermelhos e pretos. Ainda hoje são extraídos os mármores brancos da Itália (Carrara) e da Grécia (Paros e Pentelikon). Conhecidos como mármores estatuários, possuem grãos finos e translúcidos. O mármore da Argélia, de Oued-Abdallah, redescoberto em 1849, é o mesmo mármore-ônix usado nos edifícios romanos e cartagineses. Não é, em sentido estrito, nem mármore nem ônix, mas alabastro, ou gipsita, uma rocha de sulfato de cálcio. Os mármores-ônix são em geral marrons ou amarelos, devido à presença de óxido de ferro.

    As principais jazidas brasileiras de mármore estão no Espírito Santo (Cachoeiro de Itapemirim), em Minas Gerais (Ouro Preto, Sabará, Sete Lagoas, Pedro Leopoldo, Jaboticatubas, Mar de Espanha) e no Rio de Janeiro (Campos dos Goitacases). Os mármores de Ouro Preto são coloridos - rosa, vermelho, verde e creme - e o de Campos é branco. No Paraná, há as jazidas de Bocaiúva do Sul, Cerro Azul (onde o mármore é travertino, em várias cores), Rio Branco do Sul e Castro, onde há camadas de dolomitas. Outros estados produtores são Rio Grande do Sul, Bahia, Santa Catarina e São Paulo. No Brasil, as ocorrências de mármores de origem metamórfica associam-se aos terrenos pré-cambrianos.


     

    Pesquisa

    Publicidade

    RSS