Portal EmDiv

:: Terça-feira, 30 de Setembro de 2014 ::
    Tamanho das Letras
    • Aumentar Letras
    • Tamanho Padrão
    • Diminuir Letras

    Compartilhar Isso!

    AddThis Social Bookmark Button

    A Libélula

    Dotada de estrutura peculiar, de corpo ao mesmo tempo leve e forte, a libélula foi talhada para o vôo. Algumas espécies chegam a desenvolver velocidades superiores a noventa quilômetros por hora.

    Inseto da subclasse dos pterigotos e ordem dos odonatos, a libélula se distingue pela grande cabeça, quase toda tomada pelos olhos, dotados de cerca de trinta mil facetas ou unidades ópticas, que proporcionam excelente visão. Os dois pares de asas alongadas e de igual tamanho, sulcadas por uma rede de nervuras que formam uma estrutura reticulada, nunca se cruzam sobre o corpo e se mantêm sempre distendidos perpendicularmente a ele, em sentido vertical ou lateral. As antenas são curtas. No aparelho bucal, de tipo mastigador, encontram-se duas fortes mandíbulas dentadas, que facilitam a alimentação carnívora.

    Alimenta-se de moscas, mosquitos, pequenas borboletas e também exemplares de sua mesma espécie. O abdome cilíndrico, fino e comprido, termina no macho em pequenos prolongamentos em forma de pinças, com os quais segura a fêmea pelo pescoço enquanto se acasalam. É freqüente o casal voar agarrado sobre a água, com a fêmea segura pelas pinças abdominais do macho.

    A libélula, também chamada lavadeira, lava-bunda, cavalinho-de-judeu, pito, cavalo-de-cão, cambito e cavalinho-do-diabo, é excelente voadora, rápida e ágil, capaz de realizar as mais difíceis manobras nos estreitos e curvas dos cursos d'água que constituem seu habitat. A fêmea faz uma pequena perfuração nos tecidos vegetais das plantas aquáticas, onde deposita os ovos de seu aparelho ovopositor, estrutura tubular localizada na parte posterior do abdome. As larvas das odonatas, chamadas náiades ou odonáiades, vivem escondidas sob pedras do fundo de lagoas, brejos e riachos, ou agarradas aos galhos da vegetação submersa. São carnívoras, respiram por meio de brônquios e dispõem de um órgão alongado, constituído de duas peças grandes - a máscara -, que se fecha sobre a boca, capturando todo tipo de pequenos invertebrados aquáticos.

    A libélula é um inseto hemimetabólico, isto é, apresenta metamorfose incompleta. As náiades, que já têm a forma do inseto adulto, sofrem uma série de mudas para crescer, mas não passam pelo estágio de pupa.

     

    Pesquisa

    Publicidade

    RSS