Portal EmDiv

:: Segunda-feira, 22 de Setembro de 2014 ::
    Tamanho das Letras
    • Aumentar Letras
    • Tamanho Padrão
    • Diminuir Letras

    Compartilhar Isso!

    AddThis Social Bookmark Button

    A Invenção do Balão de Ar Quente - História

    Albuquerque Balloon Festival

    Em 4 de junho de 1783, após tentar vários projetos, os irmãos Jacques-Étienne e Joseph-Michel Montgolfier realizaram a primeira ascensão em um balão de ar quente. Na história da conquista do ar, esse fato assinalou o início de uma etapa decisiva, em que o balão desempenhou o principal papel.

    Balão aerostático é um veículo constituído por um invólucro de tecido impermeável, do qual pende uma cesta presa por uma rede de cordas. O balão se eleva graças à força ascendente proporcionada por um gás ou ar quente. No caso do uso deste último, sua temperatura é regulada mediante a chama de um maçarico.

    O fundamento físico do funcionamento do balão aerostático é o princípio da hidrostática de Arquimedes, segundo o qual um corpo está sujeito a um empuxo ascendente igual à diferença entre o peso do ar que desloca e seu próprio peso. À medida que o balão sobe, a pressão do ar que o rodeia diminui paulatinamente, permitindo a dilatação do ar armazenado no invólucro. Para evitar que o excesso de pressão danifique o invólucro, essas aeronaves voam infladas só parcialmente ou são dotadas de mecanismos capazes de soltar parte do gás.

    A princípio, controlava-se a altitude do balão apenas por meio do lastro ou da variação na quantidade do gás. Para subir, o piloto lançava lastro para fora do balão. Para descer, liberava gás por meio de uma válvula. Modernamente, usa-se uma chama que se eleva a fim de aquecer o gás, tornando-o mais leve, o que faz subir o balão. Para descer, baixa-se a chama. Essa técnica de variação térmica permite sucessivas subidas e descidas. Em qualquer caso, o balão deve ser esvaziado com rapidez ao descer, para não ser arrastado pelo vento.

    A importância do balão transcende porém o papel fundamental que desempenhou no início da aeronavegação. Ao longo da história, boa parte das aplicações do balão estiveram ligadas à atividade bélica. Foi usado para observar posições inimigas e formar barreiras antiaéreas contra as quais as bombas e projéteis inimigos detonavam antes de atingir o alvo. Durante a segunda guerra mundial, os ingleses usaram redes presas a balões para deter aviões inimigos.

     

    O balão tem igualmente grande importância para a pesquisa meteorológica e científica: é usado, por exemplo, na coleta de dados sobre as camadas superiores da atmosfera. Equipado com instrumentos que medem a pressão atmosférica, a umidade e a temperatura do ar etc, capta e armazena esses dados até que sejam recuperados, ou os retransmite por ondas de rádio.

     

     

    Pesquisa

    Publicidade

    RSS