【RINITE E SINUSITE】Conheça Diferenças Entre Rinite e Sinusite

Remédio para Rinite. A inflamação da membrana mucosa nasal é chamada de rinite.

Os sintomas incluem espirros e corrimento nasal e / ou prurido nasal, causados ​​por irritação e congestão nasal.

Existem dois tipos: rinite alérgica e rinite não alérgica.

A rinite alérgica e sinusite ocorre quando o sistema imunológico do corpo responde em excesso a partículas específicas e não infecciosas, como pólen de plantas, fungos, ácaros, pelos de animais, produtos químicos industriais (incluindo fumaça de tabaco), alimentos, remédios e veneno de insetos.

Durante um ataque alérgico, os anticorpos, principalmente a imunoglobulina E (IgE), se ligam aos mastócitos (células que liberam histamina) nos pulmões, pele e membranas mucosas.

→ PRINCIPAIS DICAS FINAL DO ARTIGO

Quer ver depoimentos e dicas sobre Rinite Alérgica

Deixe seu comentário no vídeo abaixo!

Trabalhamos com amor e dentro do possível seu comentário será respondido!

Este conteúdo não substitui uma consulta medica!

#dietablogbr

(VÍDEO) → 5 Remédios Naturais Para Curar a Rinite Alérgica

Uma vez que a IgE (Imunoglobina E) se conecta com os mastócitos, vários produtos químicos são liberados. Uma das substâncias químicas, a histamina, abre os vasos sanguíneos e causa vermelhidão da pele e membranas inchadas.

Quando isso ocorre no nariz, espirros e congestionamentos são o resultado.

Rinite alérgica sazonal ou febre do feno ocorre no final do verão ou na primavera.

A hipersensibilidade à ambrósia, não ao feno, é a principal causa de rinite alérgica sazonal em 75% de todos os americanos que sofrem desse distúrbio sazonal.

Pessoas com sensibilidade ao pólen de árvores apresentam sintomas no final de março ou início de abril. Uma reação alérgica ao mofo ocorre em outubro e novembro, como consequência da queda das folhas.

Rinite alérgica perene ocorre durante todo o ano e pode resultar de sensibilidade para pelos de animais, mofo no papel de parede, plantas de casa, carpetes e estofados.

Alguns estudos sugerem que a poluição do ar, como as emissões de motores de automóveis, pode agravar a rinite alérgica.

Embora bactérias não sejam a causa da rinite alérgica, um estudo médico encontrou um número significativo de bactérias Staphylococcus aureus nas passagens nasais de pacientes com rinite alérgica durante todo o ano.

Concluindo que a condição alérgica pode levar a níveis bacterianos mais elevados, criando assim uma condição que piora as alergias.

Pacientes que sofrem de episódios recorrentes de rinite alérgica devem observar seus sintomas de forma contínua.

Se ocorrer dor facial ou secreção nasal amarelo-esverdeada, um especialista qualificado em ouvido, nariz e garganta pode fornecer tratamento adequado para sinusite.

A rinite não alérgica não depende da presença de IgE e não se deve a uma reação alérgica. Os sintomas podem ser desencadeados pela fumaça do cigarro e outros poluentes, bem como odores fortes, bebidas alcoólicas e frio.

Outras causas podem incluir obstruções no nariz, desvio de septo, infecções e uso excessivo de medicamentos, como descongestionantes.

Rinossinusite: esclarecendo a relação entre a sinusite e a rinite

Estudos recentes realizados por otorrinolaringologistas e cirurgiões de cabeça e pescoço definiram melhor a associação entre rinite e sinusite.

Eles concluíram que a sinusite é frequentemente precedida por rinite e raramente ocorre sem rinite concomitante.

Os sintomas, obstrução/corrimento nasal e perda do olfato ocorrem em ambos os transtornos.

Mais importante, os achados da tomografia computadorizada (TC) demonstraram que os revestimentos mucosos do nariz e dos seios da face estão envolvidos simultaneamente no resfriado comum (que, anteriormente, afetava apenas as vias nasais).

Os otorrinolaringologistas, reconhecendo a inter-relação entre as passagens nasais e sinusais, agora se referem à sinusite como rinossinusite.

Pensa-se que o catalisador que relaciona os dois distúrbios envolve a obstrução do extravasamento do seio nasal, seguido por colonização bacteriana e infecção que conduz a sinusite aguda, recorrente ou crônica.

Da mesma forma, a inflamação crônica devido a alergias pode levar à obstrução e subsequente sinusite.

Outras pesquisas médicas têm apoiado a estreita relação entre rinite alérgica e sinusite.

Em um estudo retrospectivo sobre anormalidades sinusais em 1.120 pacientes (de dois a 87 anos de idade).

O espessamento da mucosa sinusal foi mais comumente encontrado em pacientes com sinusite durante julho, agosto, setembro e dezembro, meses em que pólen, mofo e epidemias virais são proeminentes.

Uma revisão de pacientes (quatro a 83 anos de idade) que se submeteram à cirurgia para tratar suas condições sinusais crônicas revelou que aqueles com alergia sazonal e pólipos nasais são mais propensos a apresentar uma recorrência da sinusite.

ATUALIZADO: 18.04.18

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *