a obra esquecida de apeles

A Obra Esquecida de Apeles

Nenhuma de suas obras foi preservada, mas, a despeito disso, Apeles teve sua celebridade firmada através de referências escritas. Plínio, Estrabão, Luciano, Ovídio, Petrônio e outros autores consideraram-no o mais importante pintor da antiguidade. Da vida de Apeles sabe-se quase tão pouco quanto de sua arte. Mas há indícios de que, nascido na Jônia, tenha estudado com o pintor Pânfilo de Anfípolis na célebre escola dória de Sícion, no sul da Grécia. Na Olimpíada 112 (332-329 a.C.), segundo Plínio, conheceu Alexandre o Grande, de quem se tornou retratista oficial. Para o templo de Diana, em Éfeso, Apeles pintou o retrato…

cangaco nordeste brasileiro

Cangaço e o Nordeste Brasileiro

No sertão do Nordeste brasileiro, as violentas disputas entre famílias poderosas e a falta de perspectivas de ascensão social numa região de grande miséria levaram ao surgimento de bandos armados, gerando o fenômeno do cangaço. Cangaço é a denominação dada ao tipo de luta armada ocorrida no sertão brasileiro, do fim do século XVIII à primeira metade do século XX. Cangaceiro era o homem que se dedicava a essa atividade, trazendo sempre atravessada nos ombros sua espingarda, como um boi debaixo da canga. Já no começo do século XIX, o cangaceiro trazia a tiracolo ou dependurada no cinturão toda sorte…

bauhaus

Bauhaus e a Arquitetura

A Bauhaus foi fundada em 1919, na cidade de Weimar, pelo arquiteto alemão Walter Gropius (1883-1969). Seu objetivo central era um conceito radical: reimaginar o mundo material para refletir a unidade de todas as artes. Gropius explicou esta visão para uma união de arte e design na Proclamação da Bauhaus (1919), que descreveu uma guilda utópica de artesanato combinando arquitetura, escultura e pintura em uma única expressão criativa. Gropius desenvolveu um currículo baseado no artesanato que tornaria artesãos e designers capazes de criar objetos úteis e bonitos, apropriados a este novo sistema de vida. A Bauhaus combinou elementos tanto de…

800px velha waterfall

Jalapão: Um Oasis Brasileiro

Jalapão é uma microrregião semi-árida no estado do Tocantins, Brasil. Partes da microrregião têm paisagens dramáticas com grandes dunas de areia alaranjada, formações rochosas imponentes e rios e riachos de fluxo rápido e claro. Isto é atraente para os turistas e levou a Jalapão ser escolhido para uma temporada da versão americana da série Survivor TV. A região do Jalapão tem uma área de 34.000 quilômetros quadrados e abrange os municípios de Lagoa do Tocantins, Lizarda, Santa Tereza do Tocantins, Mateiros, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins. Tem um clima de savana árida com dunas…

linguas romanicas

As Línguas Neolatinas

Depois da queda do Império Romano, ocasionada no século V pelas invasões dos bárbaros, a decadência generalizada da cultura e o isolamento das diferentes regiões dominadas por Roma fizeram com que em cada uma dessas áreas a língua falada passasse por grandes alterações, o que deu origem às línguas neolatinas, também chamadas línguas romances ou românicas. Línguas neolatinas são as que provêm do latim vulgar, modalidade coloquial do latim culto, que pertence ao grupo itálico da família lingüística indo-européia. As línguas neolatinas mais importantes faladas na atualidade são o francês, espanhol, português, italiano e romeno. Ao findar o século XX, cerca de 400 milhões…

nara

Nara – Cidade do Japão, Antiga Capital do Japão

Capital do Japão no século VIII, a cidade de Nara deu nome ao período considerado a idade de ouro da civilização japonesa. É importante repositório de obras de arte e monumentos antigos. Nara, sede da prefeitura (ken) que leva seu nome, fica na ilha de Honshu, na planície de Yamato, região de bosques e colinas, ao sul do lago Biwa e a quarenta quilômetros de Osaka. Foi a primeira capital permanente do Japão, com o nome de Heijo-kio, de 710 a 784, quando o imperador Kammu se mudou para Nagaoka, antes de instalar a capital do país em Quioto. Nara atingiu seu…

linguas asiaticas

As Línguas Asiáticas

A complexidade étnica, cultural e histórica do continente asiático se encontra perfeitamente retratada no quadro linguístico da região, no qual existem inúmeras famílias, grupos, subgrupos, ramos, dialetos e variantes. Alguns desses grupamentos linguísticos, como as línguas indo-irânicas e as uralo-altaicas, procedem das mesmas raízes que deram origem às línguas europeias. Outras, como as sino-tibetanas e as dravídicas, desenvolveram-se no próprio continente asiático. Línguas camito-semíticas – As línguas da família camito-semítica são faladas no Oriente Médio e no norte da África. Dentro do continente asiático, as línguas dessa família correspondem fundamentalmente ao tronco semítico, de origem muito antiga, já que a ele pertenciam…